Atuacao da Podologia Durante a Hemodiálise

Atuação da Podologia Durante a Hemodiálise

Visando á Qualidade de Vida de Pacientes Renais Crônicos

SOUZA, Darlon O1

RESUMO

Introdução: Os rins são considerados como os órgãos indispensáveis e essenciais por toda á homeostase (equilíbrio) do organismo humano. A doença renal crônica (DRC) é considera como á perda irreversível da função e atividade renal, ou seja, filtração dos rins. Este comprometimento faz com que todo o sistema do equilíbrio metabólico e hidrolítico do individuo seja comprometido. A podologia como ciência da área de saúde, através de seus conhecimentos teóricos, técnicos e científico pode contribuir no cuidado e prevenção de diversas afecções podais que acometem os pacientes renais.

Métodos: Estudo desenvolvido durante o estágio dos alunos do curso de podologia clínica da instituição EDERMA-ES. No setor de hemodiálise de um hospital particular no município de Cariacica Espírito Santo.

Discussão: Um vasto campo dentro da área da saúde ainda precisa ser desbravado pelos profissionais que atuam com á podologia. Diversas são as afecções podais que acometem os pacientes renais e muitos deles nem sabem os benefícios que podem ser alcançados com o atendimento podológico

Conclusões: Á atuação da podologia durante o processo de hemodiálise promove bem estar, melhora na autoestima e qualidade de vida deste pacientes. Cabe aos profissionais formados e os docentes das diversas instituições de podologia descobrirem novos horizontes dentro da atenção podal, promovendo novos conhecimentos e atuação de trabalho para os novos profissionais 

Palavras chaves: podologia, renal, hemodiálise

1-     Fisioterapeuta Especialista, Podólogo Professor do Centro Técnico Lusíadas do Curso de Podologia,das disciplinas de anatomia e fisiologia humana, avaliação neurológica em diabéticos, eletroterapia, cosmetologia, podologia hospitalar e podologia pediátrica. Professor do Centro Universitário-UNESC das disciplinas de eletroterapia, tricologia, práticas integradoras e podologia.professor do curso de pós-graduação em dermoestética-EDERMA. Coordenador do Curso de podologia Clínica EDERMA –ES.

 

INTRODUÇÃO

Os rins são considerados como os órgãos indispensáveis e essenciais por toda á homeostase (equilíbrio) do organismo humano. Tais órgãos trabalham em conjunto com os demais sistemas (sistema nervoso central, endócrino, respiratório e cardíaco). Atuam como um órgão regulador e excretor sendo fundamental na manutenção do equilíbrio do metabolismo corporal. (JOHANSEN, 2007).

A doença renal crônica (DRC) é considera como á perda irreversível da função e atividade renal ou seja filtração dos rins. Este comprometimento faz com que todo o sistema do equilíbrio metabólico e hidrolítico do individuo seja comprometido. A DRC é considerada um problema de saúde pública devido á altas taxas de mortalidade ocasionadas por esta doença (MAGALHÃES et al, 2004)

Além disso os pacientes renais tem um grande comprometimento da qualidade de vida os deixando muitas vezes incapazes fisicamente de executar atividades diárias que realizavam antes de forma corriqueira ( CASTRO, 2003)

A hemodiálise é uma procedimento de diálise que se processa num circuito extracorpóreo, seu princípio básico consiste em promover á passagem do sangue por minúsculos canais sanguíneos envolvidos por uma delgada membrana. No outro lado da membrana encontra-se um líquido dialisador onde as substâncias indesejáveis do sangue passam por difusão. Através de uma via de acesso vascular (fístula arterio-venosa, shunt) é obtido um fluxo de sangue do paciente, que, por várias horas, continuamente, perfunde em um hemodialisador e dele retornando ao paciente (RIELLA,2003).

Na prática clínica o procedimento de hemodiálise é realizado, em média, por quatro horas e três vezes por semana. Entre as complicações observadas durante a realização da hemodiálise são: hipotensão (20-30% das diálises), cãibras (5-20%), náuseas e vômitos (5-15%), cefaléia (5%), dor torácica (2-5%), dor lombar (2-5%), prurido (5%) e febre e calafrios (<1%). Tal procedimento pode debilitar muito tais pacientes uma vez que ficam horas sentado de forma angustiante realizando esta terapia. Além disso o uso exarcebado de medicamentos, entre eles os corticoides podem debilitar ainda mais estes pacientes gerando efeitos observados em todos os sistemas do organismo (CASTRO,2003).

Á doença renal crônica bem como todas as suas complicações, sejam os procedimentos de diálise assim o tratamento medicamentoso promovem diversos efeitos colaterais, entre eles: complicação cardíacas, respiratórias, psicossomáticas, endócrinas, ósseas, musculares e tegumentares.

Entre as alterações tegumentares (cutâneas) que acometem os indivíduos renais,  estudos relatam uma variedade de manifestações. Tais alterações podem ser observadas como: ressecamento de pele, comprometimentos vasculares , fissuras, tumores infecções virais, infecções fungícas, infecções bacterianas, verrugas vulgar carcinomas, microangiopatia diabética, envelhecimento tecidual, mudança de coloração dérmica,  entre outras afecções que podem manifestar em todo o corpo do paciente(CLARISSA et al 2010).

Alterações ungueais também são observadas em doentes renais crônicos. Manifestações como mudança na coloração ungueal, espessura da lâmina, modificação no formato das unhas, infecções micóticas, infecções bacterianas, leuconíquia e hemorragias subungueais, compromete á qualidade de vida destes pacientes bem como sua estética podal e corporal (CLARISSA et al 2010).

A podologia como ciência da área de saúde, através de seus conhecimentos teóricos, técnicos e científico pode contribuir no cuidado e prevenção de diversas afecções podais que acometem os pacientes renais. Á intervenção podal de forma precoce pode minimizar várias manifestações que acometem estes pacientes, sejam os ressecamentos,as desidratações, e infecções podais (SOUZA,et al 2012).

Objetivo do estudo demonstrar mais um campo de atuação do profissional podólogo em pacientes renais.

MATERIAIS E MÉTODOS

Estudo desenvolvido durante o estágio dos alunos do curso de podologia clínica da instituição EDERMA –ES . No setor de hemodiálise de um hospital particular no município de Cariacica Espírito Santo.

Durante o módulo de podologia hospitalar os alunos de podologia clínica estiveram presente no setor de hemodiálise num período de duas semanas. Os alunos com á supervisão da professora colheram todos os dados da anamnese, exame físico e sinais clínico. De todos os pacientes que recebiam atendimento de hemodiálise nos dois turmos do setor dos rins.

Neste primeiro momento foi realizado uma triagem e observado que necessitaria de atendimento podal, como mostra a figura 1.

Figura1: Avaliação podológica em  pacientes renais

Após á triagem e avaliação podal forma selecionados os pacientes que receberiam atendimento podológico e então iniciado os procedimentos de acordo com os achados encontrados durante á avaliação.

Á figura 2: demonstra o início do tratamento podológico, á higienização, esfoliação e hidratação podal sendo preparado cada paciente para os procedimentos podológicos á serem aplicados.

Figura 2: Higienização, esfoliação e hidratação podal durante hemodiálise

No setor de hemodiálise receberam atendimento podal, os indivíduos que após á avaliação realizada estava aptos para receberem os procedimentos. Como mostra á figura 3.

Figura 3: procedimentos podológicos em pacientes renais durante hemodiálise

Não receberam atendimento podal aqueles pacientes em que estavam clínicamente contraindicados  devido os sinais hemodinâmicos, bem como os que rejeitaram atendimento.

No final de cada atendimento os alunos orientavam cada paciente bem como seus acompanhantes para á atenção á aos membros inferiores com enfatizando todo á estrutura podal e seus cuidados. 

DISCUSSÃO

Um vasto campo dentro da área da saúde ainda precisa ser desbravado pelos profissionais que atuam com á podologia, dentro do mercado brasileiro. Sendo á podologia uma área nova dentro da saúde tais profissionais, bem como á população em geral, não sabem á importância e nem á atuação deste profissionais dentro da equipe de saúde.

Diversas são as afecções podais que acometem os pacientes renais  e muitos deles nem sabem os benefícios que podem ser alcançados com o atendimento podológico. Entre á atuação do podólogo dentro do atendimento podal pode ser observado: prevenção e cuidados com hiperqueratoses, patologia comum nestes tipos de pacientes devido às complicações circulatórias e a falta de cuidados básicos com os pés deste pacientes. Prevenção e cura de fissuras através de procedimentos específicos também fazem parte da atenção á esta população que necessita de atenção (CASTRO,2003).

Sabemos que o comprometimento renal favorece o desenvolvimento de diversas infecções seja viral, bacteriana ou fungica, uma vez que estes pacientes podem apresentar seu sistema imunológico comprometido. E grande parte destas afecções acometem as regiões dos pés onde então o profissional podólogo esta preparado tecnicamente para intervir de forma preventiva e curativa com diversos recursos de sua competência (SOUZA et al, 2012).

Durante a avaliação neste estudo as alterações podológicas mais encontradas, foram: hiperqueratoses, distrofias ungueais, ressecamento de pele, fissuras e mudança na coloração dérmica dos pés (CLARISSA et al 2010).

O podologia como profissão nova dentro da área de saúde, necessita abrir novos horizontes dentro da assistência de saúde e demonstrar á sua atuação dentro da equipe multiprofissional. Uma vez que tais procedimentos realizados pelos podólogos em pacientes renais durante á hemodiálise, melhora á qualidade de vida bem como á autoestima e confiança destes pacientes.

A atuação da podologia durante á hemodiálise foi capaz de levar um melhor conforto aos pacientes bem como uma distração tornando às 4 horas de terapia em diálise menos indesejada.

CONCLUSÕES

Á atuação da podologia durante o processo de hemodiálise promove bem estar, melhora na autoestima e qualidade de vida deste pacientes.

Cabe aos profissionais formados e os docentes das diversas instituições de podologia descobrirem novos horizontes dentro da atenção podal, promovendo novos conhecimentos e atuação de trabalho para os novos profissionais.

Á podologia como ciência nova, precisa produz mais estudos que provem a sua atuação dentro da assistência multiprofissional de saúde, assim como divulgar de forma clara á população e á diversos profissionais de saúde quais são as benefícios desconhecidos ofertados pela podologia. 

REFERÊNCIAS

  1. JOHANSEN, K.L. Exercise in the end-stage renal disease population. J Am Soc Nephrol. v. 18 p. 1845–1854, 2007
  1. MAGALHÃES, H.G.; PINTO, T.A.; REBOREDO, M.M.; FONSECA, F.D.; ALMEIDA, P.C.Análise da eficiência do tratamento fisioterapêutico em pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise. Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária. Belo Horizonte, 2004.
  1. CASTRO, M; CAIUBY, A; DRAIBE, S; CANZIANI, ME. Qualidade de vida em pacientes cominsuficiência renal crônica em hemodiálise avaliada através do instrumento genérico SF-36. Revista de Associação Médica Brasileira. v. 49, p. 245-249, 2003.
  2. RIELLA, M.C. Princípios de nefrologia e distúrbios hidroeletrolíticos. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2003.
  1.  MORAIS, C ;  GERHARDT, B;  Gussão, BC. Alterações dermatológicas nos pacientes em hemodiálise e em transplantados. 2010.
  1. SOUSA, DO; CARVALHO, GP. Procedimentos podológicos em onicomicoses-Caso Clínico.disponível em: http://centrotecnico.shinsei.com.br/. acessado em 02 de setembro de 2012.

 

Aprenda os 5 passos para obter o PÉ PERFEITO aplicando a metodologia SPA DO PÉ!

3 Comentários

  1. adriana

    duvidas
    Como a insuficiência renal desenvolve o problema no pé (ou seja, como e por quê o problema surge);
    – Quais são as características desse problema (tanto para o podólogo reconhecer a doença, como para o paciente, em termos de comprometimento dos pés);
    – E, se for o caso, como o podólogo pode prevenir e tratar esse problema.

    • marcelo

      Adriana, tudo bom?
      O ideal seria falar com o professor Darlon Souza por e-mail ([email protected]), pois ele é o autor do artigo e com certeza poderá responder as suas dúvidas sobre podologia.
      Atte.
      Marcelo

  2. adriana

    obrigada, vou entrar em contato..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *