Fissuras nos Pés – Prevenção e Tratamento

Fissuras nos Pés: Prevenção e tratamento

por Márcia Nogueira

Fissuras 1

Camadas da Pele:

Nossa pele possui 3 camadas: a epiderme , a derme e a hipoderme. A epiderme é a camada mais superficial, também chamada de camada córnea, está sub- dividida em 5 camadas, não possui  vasos sangüíneos e linfáticos, esses se localizam na derme, rica em órgãos anexos,como pelos, glândulas sebáceas, glândulas sudoríparas,nervos, músculo eretor  de pelos etc. Já a hipoderme ou sub-cutânea ,é rica em células gordurosas, que servem para proteger nosso corpo de pancadas, atuando como amortecedores e conservando o calor do nosso corpo.

Depois que as células da pele nascem,  com o passar do tempo elas completam sua formação e se modificam quimicamente, durante esse processo as células mortas  são empurradas, descamam  continuamente, sendo assim  eliminadas.O corpo humano elimina por dia, de 6 a 14 gramas de células mortas. O tempo médio entre o nascimento de uma célula e sua troca é de 28 dias.

Podemos perceber que na planta dos nossos pés e palmas das mãos não existem pelos e por esse motivo não possuem as glândulas sebáceas responsáveis pela lubrificação natural da nossa pele. Concluímos que essas áreas tendem a um ressecamento bem maior que em outras áreas do nosso corpo, necessitando assim de uma atenção maior no que diz respeito à hidratação e proteção.

Proteção e Cuidado dos Pés

No caso da planta dos nossos pés, além de não terem a mesma proteção que em outras áreas tendem  a desenvolver uma camada espessa de queratina na intenção de proteger a pele da agressão de um agente mecânico. Agentes mecânicos são fatores externos como: sapatos apertados, costuras de meias, tiras de sandálias, calçados com numeração inadequada, salto alto e bico fino, aumento de peso, causadores do espessamento da camada córnea formando calos e/ou calosidades.

Fissuras 2

Calos e Calosidades

Quando a calosidade ou Hiperqueratose se torna muito espessa e ressecada, ela tende a se romper  formando a fissura, que nada mais é do que uma LED (lesão elementar dermatológica) por solução de continuidade, causada pelo rompimento do tecido cutâneo, também ocasionado em peles finas devido ao diabetes, fator idade etc..

Fissuras 3

Fissuras e Rachaduras nos Pés:

Como tratamento para as fissuras ou rachaduras nos pés, a preocupação maior é em relação a  cicatrização, para que não se torne uma porta aberta para a entrada de microrganismos como vírus, fungos e bactérias e com a hidratação para que não ocorra recidivas, tornando a pele maleável, elástica e hidratada.

A Erisipela ,por exemplo, é uma bactéria que se instala nos gânglios linfáticos e que entra no organismo através de uma fissura, unha encravada ou pequeno corte nos pés.

Creme adequado para Tratamento de Rachaduras e Fissuras:

Para que o tratamento tenha sucesso é necessário que se aplique diariamente  um creme alta hidratação e cicatrizante, com composição natural que contenha, por exemplo:  Aloe Vera (com ação umectante, regeneradora, antiinflamatória, queratolítica, cicatrizante e revitalizante) e Calêndula  (com ação emoliente, restauradora,cicatrizante, anti-séptica,anti-inflamatória e suavizante) para que o cliente não corra o risco de sofrer alguma reação alérgica.

A Eletroterapia e a Led/Laser Terapia, juntamente com a aplicação diária de um creme alta hidratação, tem demonstrado bons resultados devido à sua ação cicatrizante e regeneradora.

A evolução no tratamento no cuidado das fissuras é progressiva e depende da orientação e tratamento do Podólogo e dos procedimentos do cliente em casa.

Imagens: Professora e Podóloga Márcia Nogueira

Produto Recomendado:

 

Creme para Fissuras e Rachaduras nos Pés

 

Aprenda os 5 passos para obter o PÉ PERFEITO aplicando a metodologia SPA DO PÉ!

2 Comentários

  1. Otávio

    Muito Bom o site…
    Gostaria de saber o ano de publicação dessa matéria… Pois gostaria de usar vosso conteúdo em um trabalho meu, e preciso saber o ano p/ referenciá-los.
    Obrigado!

    • Boa tarde, Otávio!
      Obrigada!
      A publicação é de 2010, mas temos vários outros artigos recentes com temas relacionados, nos acompanhe!
      Atenciosamente,
      Isabela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *